From Instituto da Guerra
Revision as of 23:43, 12 December 2022 by Luke Nitole (talk | contribs) (Substituição de texto - "home=Página_Principal|" por "home=Página_Principal#Runas_&_Campeões|")

Piltover

“Piltover é uma cidade próspera e progressiva cujo poder e influência estão em crescimento. Ela é o centro cultural de Valoran, onde a arte, o artesanato, o comércio e a inovação andam de mãos dadas. Seu poder não vem de soberania militar, mas através dos motores do comércio e do pensamento de vanguarda.

Situada no despenhadeiro acima do distrito de Zaun e de frente para o oceano, frotas de navios passam por seus portões do mar gigantescos, trazendo iguarias do mundo todo. A riqueza que isso gera deu lugar a um aumento sem precedentes no crescimento da cidade. Piltover se reinventou - e continua se reinventando - como uma cidade onde fortunas podem ser feitas e sonhos podem ser realizados.

Os crescentes clãs de mercadores investiram no desenvolvimento dos empreendimentos mais incríveis: grandes loucuras artísticas, pesquisa hextec esotérica e monumentos arquitetônicos em seu poder. Como cada vez mais inventores estão se envolvendo com a história de hextec, Piltover se tornou um ímã para os artesãos mais habilidosos do mundo.”

Piltover é uma cidade próspera e progressiva com vista para o oceano. Frotas de navios passam por seus portões titânicos, trazendo mercadorias de todo o mundo. Clãs mercantes financiam empreendimentos incríveis, incluindo loucuras artísticas e monumentos arquitetônicos ao seu poder individual. Com cada vez mais inventores mergulhando na hextech, Piltover se tornou o destino dos artesãos mais habilidosos de toda Runeterra.

O Dia do Progresso

Zaun finalizou seus planos para destruir uma parte do istmo que liga Valoran ao continente de Shurima, permitindo uma passagem marítima segura entre o leste e o oeste de Valoran. O plano envolvia o uso de milhares de bombas quimtec para abrir uma área da terra para que uma caverna pudesse ser criada, mas os resultados foram catastróficos.

No que parecia ser um acidente, as bombas desencadearam uma série de terremotos que destruíram completamente o istmo e afundaram grandes distritos de Zaun e milhares de seus cidadãos, além de vazar gás venenoso nas áreas sobreviventes da cidade.

Janna, fortalecida pelas orações do povo de Zaun, chegou e dispersou o gás, salvando muitas vidas e sendo eternamente lembrada pelos habitantes de Zaun, convertendo-a de uma deusa da fé para os marinheiros em uma divindade guardiã de Zaun. Ela ainda não deixou Zaun após este evento.

Eventualmente, Zaun foi reconstruída. Para regular a passagem do rio sobre o qual foram construídos, os Portões Solares foram construídos, obrigando todo o transporte pelas águas a ser regulado por Zaun. Isso trouxe imensa riqueza para a cidade e provavelmente levou à construção e elevação de Piltover, pois as famílias governantes controlavam os impostos e o comércio produzidos pelos Portões Solares, levando à formação dos verdadeiros clãs mercantis.

Foi então formado o Dia do Progresso, um festival anual de Piltover e Zaun. O foco principal deste evento é a celebração do progresso tecnológico da cidade. Neste dia, muitos prêmios e promoções são dados às mentes mais brilhantes de toda Runeterra que estão dispostas a contribuir para o avanço da cidade, bem como a vitrine de inovações em toda a cidade.

Em Piltover, o Dia do Progresso marca o momento em que os Portões Solares se abriram pela primeira vez, permitindo que o comércio passasse facilmente entre o leste e o oeste de Valoran. Também marca o momento em que a tributação desse comércio transformou o fio de ouro que entrava nos cofres da cidade em um rio de fluxo rápido. Mas abaixo em Zaun, é um dia para lembrar aqueles perdidos na agitação geológica que criou a passagem leste-oeste e submergiu distritos inteiros debaixo d'água.

Este dia também é quando os aprendizes de Piltover são recebidos em audições nos Clãs Mercantis, os melhores dos melhores são selecionados para ingressar nas posições ricas do clã, trabalhando com o melhor que Piltover pode oferecer.

Clãs Mercantis

Cada um dos clãs mercantis de Piltover tem seu próprio símbolo exclusivo para identificar suas casas, oficinas, remessas, armazéns, invenções, marcas e locais de negócios. Cada símbolos tem muitos significados e interpretações; alguns óbvios, outros nem tanto.

A diferença entre um clã e uma casa é que os clãs são maiores, não necessariamente têm todos os seus membros relacionados pelo sangue por conexões familiares diretas, e têm maior influência política e renda para seus empreendimentos. Por exemplo, a Casa Talis ainda requer financiamento para seus empreendimentos hextec.

Comércio e Progresso

O comércio é a força vital de Piltover, e seu comando da principal rota marítima entre leste e oeste viu seus cofres incharem de ouro. Uma consequência disso foi a rápida expansão do império noxiano, cujos exércitos e suprimentos podem agora viajar por toda a extensão de Valoran com relativa facilidade.

Também permitiu que Águas de Sentina prosperasse como um refúgio para piratas e saqueadores que atacam navios que viajam de e para Piltover. O clima em torno de Piltover é geralmente ameno, mas quando a temperatura muda rapidamente, as neblinas do mar geralmente envolvem as docas e armazéns.

Os cais de Piltover estão sempre ocupados, e qualquer pessoa com as costas fortes e vontade de trabalhar pode facilmente encontrar emprego. Cem sotaques são ouvidos nas ruas do cais a qualquer momento, e dezenas de navios de todos os portos passam pelos Portões do Sol todos os dias.

A natureza cosmopolita de Piltover torna seus habitantes tão variados quanto sua cidade, mas permanece um caráter particular em seu povo. Um cidadão de Piltover é tipicamente autossuficiente, não espera esmolas e sempre aspira a fazer melhor. Eles são avessos à intromissão de forasteiros e veem um mercado aberto e livre como essencial para a prosperidade contínua da cidade. Por mais que os cidadãos de Piltover e Zaun gostem de fingir que são entidades separadas, ambos estão muito mais entrelaçados do que podem admitir abertamente, tendo fortes laços biológicos e culturais um com o outro.

O Conselho

Piltover é administrada por um conselho dos clãs mercantis mais ricos e influentes. Havia sete assentos fixos no Conselho e alguns, como Heimerdinger, serviram no Conselho desde a fundação da cidade.

A fim de melhorar o bem-estar social e ambiental da cidade-estado, os clãs se esforçam constantemente para implementar as rápidas inovações científicas de sua nação. Embora um maior fluxo de tráfego e lucro possa não ser sua única motivação, mais recentemente o Clã Medarda os convenceu a investir uma fortuna para aproveitar o poder da hextec, para acelerar a abertura e o fechamento dos Portões Solares. Como os cidadãos tendem a ser perspicazes e idealistas, até agora houve pouca oposição.

Piltover também é uma das cidades-estados menos militarizadas de Valoran, e também uma das mais confiáveis. Apesar disso, a cidade possui um esquadrão de navios de guerra para a proteção dos Portões Solares.

A Guilda de Exploradores

Uma guilda destinada aos piltovenses que desejam ver Runeterra e suas maravilhas. Para obter uma associação oficial, é preciso apresentar grandes trabalhos de arqueologia, artefatos perdidos ou diários detalhando jornadas pelos lugares mais misteriosos de Runeterra.

Eles são encarregados de financiar, monitorar e adquirir artefatos arqueológicos de toda Runeterra de seus membros da guilda. Esses artefatos são posteriormente usados para pesquisa ou colocados em um dos muitos museus de Piltover.