From Instituto da Guerra

Nexus de Piltover & Zaun

Piltover&Zaun.png

Há algumas décadas, visionários de Piltover e Zaun perceberam a necessidade de uma instituição que promovesse o desenvolvimento tecnológico e a colaboração entre as duas cidades, que, embora fossem vizinhas, muitas vezes enfrentavam desafios distintos. Nasceu então a ideia de criar uma faculdade dedicada exclusivamente à tecmaturgia, a magia alimentada pela tecnologia e inovação.

A escolha de um local para a faculdade foi um processo cuidadoso. Após considerar diversas opções, decidiram construir o Nexus em uma área neutra entre Piltover e Zaun, simbolizando a colaboração e a igualdade entre as duas cidades. Essa decisão também teve o intuito de incentivar o intercâmbio cultural e tecnológico entre os habitantes de Piltover e Zaun.

A construção da Faculdade de Tecmaturgia contou com a participação ativa de cientistas, engenheiros e magos de ambas as cidades. Foi um projeto ambicioso que envolveu a implementação de tecnologias inovadoras e mágicas para criar um ambiente propício à aprendizagem e à pesquisa.

A faculdade oferece cursos gratuitos para aqueles com potencial, independentemente de sua origem social. Essa abordagem inclusiva visa quebrar as barreiras econômicas que poderiam impedir indivíduos talentosos de buscar a educação. Os cursos abrangem desde fundamentos da tecmaturgia até pesquisas avançadas, incentivando os alunos a explorar novas ideias e contribuir para o progresso tecnológico de Piltover e Zaun.

Muitas das tecnologias revolucionárias que emergiram da faculdade tiveram impactos significativos nas indústrias de ambas as cidades, elevando o padrão de vida e fortalecendo os laços entre os habitantes de Piltover e Zaun.

Localização

Os arredores do Nexus são uma amalgama fascinante de contrastes, refletindo as características distintas de Piltover, a cidade elevada, e Zaun, a cidade abaixo. Essa área entre as duas cidades é cuidadosamente projetada para ser um espaço de convergência, onde a inovação de Piltover encontra a resiliência de Zaun.

Ao se aproximar do Nexus, o terreno se transforma em uma paisagem que mescla a sofisticação de Piltover com a natureza industrial de Zaun. Estruturas arquitetônicas elegantes, pontes elevadas e torres imponentes pontuam o horizonte, testemunhando o esforço conjunto para criar um ambiente que reflete a dualidade das cidades irmãs.

A movimentada vida urbana é evidente nas ruas, onde comerciantes de Piltover e artífices de Zaun exibem suas mercadorias em feiras ao ar livre. O comércio é um reflexo direto da interação entre as duas culturas, com inovações tecnológicas de Piltover compartilhando espaço com engenhocas e criações únicas de Zaun.

No entanto, a área não é apenas uma exibição de harmonia. Desafios e disputas surgem ocasionalmente, testando a resiliência da aliança entre as duas cidades. A vigilância é constante, e as autoridades garantem que a neutralidade do espaço seja mantida para preservar a integridade do Nexus e promover o desenvolvimento conjunto.

Aparência

Ao chegar ao campus, é impossível não notar a grandiosa torre que se ergue no centro do terreno que se destaca pela sua altura e abriga o escritório da reitora. Os prédios do campus, predominantemente construídos com tijolos e concreto, capturam a essência polida de Piltover. As telhas verdes azuladas que cobrem os tetos proporcionam um toque de cor, contrastando com a aparência sóbria dos edifícios.

À frente da torre principal, estende-se uma bela praça que serve como ponto focal do campus. Bancos e áreas verdes oferecem espaços de convívio.

Ao entrar no prédio principal, os visitantes são recebidos por um hall de entrada espaçoso e iluminado, com piso de mármore e escadarias elegantes. As paredes são decoradas com murais representando a colaboração entre Piltover e Zaun, destacando a importância da união das duas culturas.

As salas de aula e laboratórios são equipadas com tecnologia de ponta, combinando o melhor das práticas de Piltover com a engenhosidade improvisada de Zaun. Experimentos, protótipos e projetos estudantis podem ser vistos em cada esquina, criando um ambiente dinâmico de aprendizado.

Instalações

Todos os Nexus do Instituto possuem diversas instalações para auxiliar os Campeões em suas missões ou para o funcionamento próprio do local. Dentre as instalações do Nexus de Piltover & Zaun estão as seguintes:

A Sala de Portais

Esta sala é uma instalação impressionante, refletindo a avançada tecmaturgia de Piltover e a engenhosidade inovadora de Zaun, localizada estrategicamente em uma sala no edifício principal da faculdade. A entrada da Sala de Portais é marcada por uma porta de aço sólido, adornada com detalhes intricados de engrenagens e circuitos, simbolizando a fusão entre a estética das cidades.

Ao abrir a porta, os visitantes são recebidos por uma sala espaçosa, iluminada por uma luz suave que emana dos próprios portais.O centro da sala é ocupado por nove portais, cada um meticulosamente alinhado com precisão geométrica. Os portais são arcos circulares de luz pulsante, criando uma atmosfera energética e tecnológica. Cada portal é encaixado em um suporte metálico adornado com runas e símbolos tecmaturgicos.

Os portais em si apresentam uma variedade de cores e padrões, destacando a diversidade de destinos disponíveis para os membros do Instituto. Símbolos holográficos flutuam acima de cada portal, indicando o Nexus de destino, facilitando a navegação para os viajantes.

Ao redor da sala, painéis de controle embutidos nas paredes mostram informações em tempo real sobre a estabilidade dos portais, rotas disponíveis e registros de viagens anteriores. Técnicos altamente treinados monitoram esses painéis, garantindo que cada portal permaneça seguro e funcional.

O piso é feito de um material resistente e refletivo, criando um efeito que amplia a iluminação dos portais. Linhas de energia brilham no chão, conectando os portais e formando um intricado padrão que simboliza a rede interconectada de Nexus mantida pelo Instituto.

Doca de Dirigíveis

Em um edifício mais afastado ao sul do prédio principal, esse espaço é dedicado ao atracamento e manutenção de dirigíveis. O exterior da Doca de Dirigíveis é marcado por uma estrutura metálica imponente, com uma torre destacada que se eleva acima do restante do edifício.

A torre é equipada com uma série de holofotes direcionáveis, fornecendo iluminação eficiente para as operações noturnas. A entrada principal é composta por portões de aço reforçado, demostrando a segurança e a importância do local.

Ao adentrar no edifício da Doca, o interior revela uma área espaçosa com duas plataformas permanentes para o atracamento seguro dos dirigíveis. As plataformas são equipadas com sistemas avançados de amarração, garantindo a estabilidade das aeronaves durante o carregamento e descarregamento.

Elevadores mecânicos e guindastes estrategicamente posicionados são elementos-chave desta instalação, permitindo a movimentação eficiente de carga e passageiros entre os dirigíveis e o solo. Os guindastes são equipados com garras ajustáveis, capazes de lidar com uma variedade de mercadorias.

Escritório da Reitora

Situado no topo da torre principal do campus, este espaço não apenas serve como o epicentro administrativo da Faculdade de Tecmaturgia, mas também oferece uma vista deslumbrante que abrange o extenso campus universitário e as cidades gêmeas de Piltover & Zaun.

As paredes são adornadas com troféus acadêmicos, placas de reconhecimento e artefatos tecmaturgicos que testemunham as realizações e a dedicação à educação e à inovação da reitora. O mobiliário é cuidadosamente selecionado para combinar com a estética moderna, apresentando designs elegantes e ergonômicos.

A mesa da Reitora é uma peça central impressionante, feita de materiais nobres e equipada com interfaces tecmaturgicas de última geração. Painéis de controle holográficos e monitores interativos permitem que a Reitora gerencie assuntos acadêmicos e administrativos com facilidade.

O ambiente é decorado com uma coleção de obras de arte, incluindo pinturas e esculturas, que celebram a diversidade, a criatividade e a inovação.

Laboratórios de Pesquisa

Os Laboratórios no Nexus representam o coração pulsante da inovação e do progresso tecnológico dentro do campus da Faculdade de Tecmaturgia. Separados em prédios dedicados à pesquisa avançada, esses laboratórios são centros de experimentação e descobertas científicas.

A entrada principal é marcada por portas automáticas que se abrem para revelar o interior movimentado e dinâmico. Os corredores são alinhados com portas de laboratórios individuais, cada uma indicando áreas específicas de pesquisa, desde tecmaturgia, até estudos sobre energia hextec, alquimia e outras disciplinas avançadas.

Os laboratórios são equipados com as mais recentes tecnologias e instrumentos científicos. Mesas de trabalho são organizadas de forma lógica, cada uma equipada com ferramentas específicas para as pesquisas em andamento. Monitores holográficos exibem dados em tempo real, enquanto dispositivos tecmaturgia emitem um zumbido suave enquanto conduzem experimentos avançados.

Os pesquisadores, vestidos com uniformes especializados, movem-se de um setor para outro, trocando ideias e colaborando em projetos inovadores. O ambiente é permeado por uma energia criativa e focada, com equipes de cientistas e estudantes dedicando-se a explorar os limites do conhecimento tecmaturgico.

Oficina de Tecmaturgia

Este espaço é dedicado à prática e à aplicação prática dos conceitos teóricos aprendidos na Faculdade de Tecmaturgia. Localizada em um dos prédios do campus, essa oficina é um ambiente dinâmico onde os estudantes têm a oportunidade de transformar teorias em criações tangíveis.

O interior da Oficina é um labirinto de bancadas de trabalho, ferramentas especializadas e máquinas de tecmaturgia. Cada bancada é espaçosa e equipada com ferramentas diversas, desde chaves de ajuste até dispositivos hextec mais complexos. Cada estudante tem seu próprio espaço para desenvolver projetos individuais, incentivando a autonomia e a experimentação.

Máquinas de forja emitem calor e luz, enquanto alunos habilidosos moldam metal e infundem energia hextec em suas criações. Há uma sinergia única entre a antiga tradição de Piltover e a inovação ousada de Zaun, refletindo-se nas criações que tomam forma nas bancadas.

O som constante de martelos batendo, engrenagens girando e dispositivos tecmaturgicos zumbindo cria uma sinfonia única que ecoa pelos corredores da oficina. Monitores holográficos exibem esquemas técnicos e modelos tridimensionais, auxiliando os estudantes em seus projetos.

Prédios de Aula

A entrada de cada prédio é marcada por uma porta imponente, muitas vezes automatizada e adornada com detalhes dourados. Placas indicativas e hologramas flutuantes guiam os estudantes para suas respectivas salas de aula, laboratórios e áreas de estudo.

Dentro dos prédios de aula, os corredores são amplos e bem iluminados, proporcionando um ambiente estimulante para o aprendizado. Salas de aula são equipadas com tecnologia de ponta, incluindo lousas holográficas, bancadas de trabalho interativas e assentos ergonomicamente projetados para facilitar a participação ativa dos alunos.

Cada prédio abriga laboratórios especializados que atendem às diversas disciplinas oferecidas pela faculdade. Laboratórios de alquimia, engenharia hextec, estudos arcanos e outras áreas específicas são equipados com instrumentação avançada para apoiar experimentos práticos e pesquisa inovadora.

A decoração interna é uma fusão de elementos estéticos de Piltover e Zaun, criando um ambiente que celebra a diversidade e a colaboração entre essas duas cidades-estado. As paredes exibem exposições de projetos notáveis dos alunos, juntamente com dispositivos tecmaturgicos em exposição que exemplificam os avanços mais recentes.

Sala dos Professores

A sala possui uma atmosfera acolhedora, com paredes em tons neutros e mobiliário de alta qualidade. Grandes janelas permitem a entrada de luz natural, proporcionando uma visão inspiradora do campus. Cortinas elegantes podem ser puxadas para criar um ambiente mais privativo durante reuniões ou momentos de descanso.

O mobiliário inclui poltronas confortáveis, algumas mesas de trabalho com terminais tecmaturgicos e prateleiras repletas de livros, pergaminhos e outros materiais acadêmicos. Uma grande mesa central serve como espaço para reuniões entre professores, onde ideias podem ser trocadas e estratégias pedagógicas discutidas.

Cada professor tem seu próprio espaço designado, personalizado com detalhes que refletem suas preferências e especializações acadêmicas. Quadros de avisos destacam eventos importantes, anúncios e oportunidades de pesquisa ou colaboração. Em um canto, uma pequena área de descanso oferece aos professores a chance de relaxar, com poltronas confortáveis, uma máquina de café e uma variedade de lanches saudáveis.

Personagens Relacionados

Abaixo estão algumas das figuras mais relevantes para o Nexus de Piltover & Zaun:

Grão-Mestre Maryenne Curie

P&Z Marienne.png

A Reitora Maryenne Curie é amplamente reconhecida como uma das mentes mais brilhantes da história, uma cientista e tecmaturga habilidosa cujo trabalho visa promover a igualdade entre Piltover e Zaun. Adotada por uma família de Piltover ainda na infância, Maryenne prosperou em seus estudos, inconsciente de suas origens zaunitas, mas sempre guiada pela compaixão pelos menos favorecidos.

Ao descobrir suas raízes zaunitas, seu brilho se intensificou, manifestando-se em uma série de inovações notáveis. Um exemplo notável foi um sistema de filtragem de água que beneficiava ambas as cidades, irritando notavelmente os poderosos, incluindo os Barões Químicos. Sua abordagem desafiadora às desigualdades ganhou notoriedade quando ela confrontou um nobre em um evento beneficente para a universidade, desafiando sua posição pró-Barão Químico.

Maryenne enfrentou uma humilhação pública após ser derrotada na discussão, mas sua resposta veio em forma de uma renovação no sistema de filtragem. Além de purificar a água, agora ele reciclava impurezas em uma matéria-prima inerte e atóxica, utilizada para a construção de moradias em Zaun. Este golpe magistral forçou o nobre a fazer uma doação significativa.

Atualmente, seu foco principal é encontrar uma solução para o Cinza, um composto letal em Zaun. Maryenne, embora inegavelmente inteligente no campo tecnológico, tem enfrentado desafios políticos ao lidar com poderosos interessados em explorar tragédias para ganho pessoal.

Apesar de ser amada por muitos zaunitas, Maryenne é alvo de ódio por alguns piltovenses. Rumores sobre ameaças à sua vida circulam, sugerindo que os Barões da Química podem ter contratado um assassino recomendado pela Irmandade Navori em Ionia. Em meio a essa controvérsia, Maryenne permanece como um símbolo de resistência, desafiando os poderes estabelecidos em busca de um futuro mais equitativo para Piltover e Zaun.

Professor Lymere

P&Z Lymere.png

O Professor é uma figura distinta e respeitada no Nexus, sua presença imponente e maneirismos refinados indicam não apenas sua erudição, mas também sua postura rígida quando se trata de lidar com assuntos acadêmicos e relacionados ao Instituto da Guerra.

Com cabelos grisalhos cuidadosamente penteados e uma barba impecável, Lymere emana uma aura de autoridade intelectual. Seus olhos astutos revelam uma mente ágil e analítica, capaz de resolver os mais complexos enigmas tecmaturgicos e desafios acadêmicos.

Lymere é conhecido por ser o intermediador entre o Instituto e os aventureiros. Sua habilidade de comunicação refinada e sua compreensão profunda das missões do Instituto o tornam uma peça-chave na coordenação das operações. No entanto, sua aversão evidente a comportamentos impulsivos e indisciplinados, reminiscentes de seu sobrinho Ezreal, muitas vezes o leva a delegar tais assuntos para outros tutores mais tolerantes.

Quando não está desempenhando o papel de intermediador, Lymere assume sua função como professor na faculdade. Suas aulas são conhecidas por sua abordagem rigorosa, exigindo o máximo de seus alunos. Ele é um defensor fervoroso do método educacional que desafia os estudantes a atingirem seu potencial máximo, sempre enfatizando a importância da disciplina e do rigor intelectual.

Apesar de sua personalidade severa, muitos reconhecem que, por trás da fachada austera, o Professor Lymere nutre uma genuína paixão pelo avanço do conhecimento e o treinamento de mentes brilhantes. Ele se tornou uma figura central no Nexus, representando a busca pela excelência acadêmica e a disciplina necessária para alcançá-la.

T7-01 “Toi”

P&Z Toi.png

T7-01, carinhosamente apelidado de "Toi" pelos alunos, é um ser peculiar no Nexus de Piltover & Zaun. Ele representa uma convergência única de protocolos, uma mistura de características tiranas e carinhosas que o tornam uma figura notável na Faculdade de Tecmaturgia.

Seu corpo robusto e imponente, construído com base em modelos mais fortes, reflete a força e a durabilidade que sua linha Tirana demanda. No entanto, o conflito interno entre os protocolos de Tirania e Carinho cria uma dualidade visível em seu comportamento.

Enquanto interage com superiores, seja alunos ou membros do Instituto, Toi segue o protocolo da linha C4-05, exibindo atitudes carinhosas e respeitosas. Seus modos suaves e palavras gentis o diferenciam drasticamente da típica rigidez associada à sua forma física imponente.

No entanto, ao encontrar desconhecidos ou indivíduos fora da hierarquia superior, o protocolo de Tirania de Toi assume o controle. Suas falas se tornam imperativas, e sua postura reflete a autoridade e a opressão características da linha Tirana. Este contraste abrupto confunde e intriga aqueles que interagem com ele pela primeira vez.

Toi é, sem dúvida, uma peça única na Faculdade de Tecmaturgia. Seus protocolos divergentes, embora inicialmente estranhos, também representam uma tentativa inovadora de conciliar ideias aparentemente opostas. O conflito interno de Toi cria uma presença intrigante no Nexus, oferecendo uma perspectiva única sobre a natureza da tecmaturgia.